Compartilhe

Se você sempre teve curiosidade em saber mais sobre esse trabalho, essa é a sua chance de conhecer a atuação do detetive particular.

 

Um trabalho muito diferente, discreto e essencial para a resolução de conflitos. É assim a atuação do detetive particular, profissional que é contratado para realizar vários tipos de investigações.
O detetive pode investigar, perseguir e flagrar praticamente qualquer tipo de situação. No entanto, esse profissional deve seguir à risca um código de ética e conduta para que a sua identidade seja preservada e para que o cliente que o contratou não sofra retaliações, independentemente do tipo de investigação que está sendo realizada.
Para isso, o investigador particular utiliza uma série de recursos, que vão desde o bom e velho disfarce até aparelhos tecnológicos que rastreiam a localização, fazem a escuta e registram imagens. Além disso, ele precisa ter uma boa memória para se recordar de nomes, rostos e fatos, e ser bom em lidar com pessoas, afinal, ele pode ser o portador de uma má notícia a qualquer momento.
Reunindo todas essas características, um detetive particular será capaz de averiguar:

Localização de Pessoas

É um dos principais trabalhos realizados pelos detetives e pode auxiliar a encontrar entes queridos que desapareceram, já que a cada 11 minutos uma pessoa desaparece no Brasil. Entre os motivos, estão sequestro, tráfico de órgãos, tráfico de seres humanos e outros. Felizmente, 80% delas acabam retornando para casa, muitas vezes graças à atuação do investigador.
Há casos de pessoas que desaparecem espontaneamente de casa. As histórias são as mais diversas, e vão desde usuários de drogas até casais apaixonados que decidiram se casar escondido das famílias.
Os detetives também estão sendo contratados para investigar e recuperar animais perdidos ou roubado. Pets como cães, gatos e até mesmo pássaros já podem ser localizados por esses profissionais, desde que os donos ajam rápido.

Investigação Conjugal

O Brasil é o segundo país com mais traições no mundo, atrás apenas da Holanda. Por isso, não é surpresa afirmar que a comprovação da fidelidade (ou não) dos parceiros é o serviço mais solicitado nas agências de detetive.
Na maioria das vezes, mulheres entre 18 e 64 anos é quem estão esperando as informações sobre os companheiros. O perfil dos investigados é de homens casados entre 30 e 49 anos, com curso superior.
Nove em cada dez suspeitas de traição são confirmadas. Esse tipo de investigação é à prova de falhas e pode ser concluída em apenas alguns dias. Isso quer dizer que o resultado sobre a fidelidade conjugal pode desestruturar famílias e lares, e precisa ser solicitada e realizada com responsabilidade.

Casos Empresariais

A contratação de um detetive pelas empresas também é muito comum e pode revelar resultados que colocam o negócio em risco. No entanto, é preciso eliminar a desconfiança antes que a empresa vá por água abaixo.
Esse tipo de investigação geralmente envolve dúvidas sobre funcionários infiltrados ou desleais, concorrentes captando informações e sócios desviando verbas da companhia. Pode acontecer em qualquer negócio, e já ocorreu com a Petrobrás, com a Mattel e com a General Motors. Para chegar a uma resposta, os detetives precisam ter acesso aos documentos da empresa, além das demais técnicas da profissão.
Outro serviço muito solicitado pelas empresas é o de contraespionagem. Nesse caso, o investigador monitora a concorrência a procura de indícios de espionagem externa após o cliente notar, por exemplo, tentativas de sabotagem do seu negócio.

Crimes

A investigação criminal feita pelo detetive particular pode auxiliar a polícia a desvendar crimes como tráfico de drogas e homicídios, ou ser realizada após o encerramento de um caso inconclusivo. No caso de assassinatos, por exemplo, apenas 5% dos responsáveis chegam a ser punidos no Brasil.
O detetive não tem autorização para participar e interferir no trabalho dos agentes policias. No entanto, seu trabalho pode ser feito em paralelo, e ele deve apresentar provas e informações às autoridades quando descobrir algo novo ou quando for convocado.
Nas investigações particulares, o profissional não pode realizar julgamentos ou dar voz de prisão aos suspeitos, mesmo que ele tenha presenciado um crime. Em casos como esse, é preciso chamar a polícia e ficar à disposição para continuar a colaboração e o serviço para o cliente.