O trabalho de um investigador particular é muito interessante e curioso. Quem quiser sentir essa emoção na pele pode estudar e se tornar um detetive particular

 

Ver como atua o detetive particular é algo que encanta várias pessoas. Observar a forma com a qual eles contribuem para a solução de dúvidas e desconfianças e encontram ligações inimagináveis para conseguir concluir um caso até faz com que nós fiquemos eufóricos.

Esse é um trabalho admirado por muitas pessoas, seja através das séries de detetives, dos filmes do James Bond e de outros detetives, do relato de pessoas próximas ou até mesmo da própria contratação desse serviço. Porém, mesmo com tudo isso, muitos de nós gostaríamos de ir além.

Para quem quer aprender ainda mais e vivenciar as situações de um investigador particular na pele, a melhor solução é fazer um curso de detetive particular, para que possa começar a atuar na área e ser a pessoa que realmente soluciona os casos.

Vamos aprender mais sobre esse assunto, com informações sobre como o curso é feito, quanto tempo ele dura e como começar a atuar profissionalmente.

Como Funciona um Curso de Detetive Particular?

Antes de tudo, é importante ressaltar que esse curso não possui nível técnico ou superior: ele é similar a um curso profissionalizante, assim como existem para várias funções no mercado.

Com isso, já podemos solucionar uma das dúvidas mais frequentes: não é obrigatório ter algum tipo de formação acadêmica para o desempenho da função.

Aqui, cabe uma observação: isso não quer dizer que qualquer pessoa possa fazer um curso de detetive particular e já sair exercendo a função, assumindo a responsabilidade por solucionar casos complicados.

As técnicas utilizadas para uma boa investigação demandam bastante raciocínio, pensamento lógico, agilidade e inteligência. Portanto, um advogado, engenheiro ou jornalista, entre outras formações, podem ter mais aptidão para o desempenho da função.

Para começar a fazer um curso de investigador particular, é preciso procurar por alguma empresa que ofereça tal curso. É possível encontrar algumas delas pela internet ou mediante a recomendação de profissionais que já atuam na área e também passaram por essa situação.

O curso pode ser feito presencialmente, pela internet ou até mesmo através do envio de materiais pelos correios: cabe a cada aluno optar por aquilo que melhor atender às suas necessidades. Porém, é sempre importante procurar por uma empresa reconhecida e especializada.

Quando um Investigador Particular Pode Começar a Atuar?

Essa é uma questão bastante peculiar. Afinal de contas, o passo a passo para ser um detetive profissional não termina quando o aluno acaba seu curso: essa, na verdade, é a primeira etapa.

Basta fazer uma analogia a alguém que acabou de se formar na faculdade: um engenheiro civil recém-formado não está suficientemente preparado para construir um edifício comercial complexo sozinho, logo no dia seguinte da colação de grau.

Ele pode ter o conhecimento teórico e também já ter enfrentado situações complicadas nos estudos, mas a prática é diferente. Por isso, o melhor é começar aos poucos e evoluir profissionalmente. Como consequência, projetos maiores virão.

Curso de Detetive Particular

Também é isso o que acontece depois de um curso de detetive particular: o aluno ainda não estará completamente pronto para assumir um caso sozinho. Por isso, uma boa recomendação é tentar atuar em conjunto com um investigador particular mais experiente, algo similar a um “estágio”.

Antes disso, porém, é necessário que o aluno procure pela prefeitura de sua cidade e veja quais são os trâmites necessários para que ele possa se registrar como um detetive profissional autônomo. Com isso, ele poderá abrir uma empresa e passar a atuar profissionalmente.

Tal procedimento se faz necessário para que o novo detetive obtenha um cadastro municipal, também conhecido como alvará. É esse documento que o autorizará a atuar profissionalmente.

Mesmo depois desse documento, o investigador particular não passa a ter autoridade legal, já que ele desempenha um serviço privado. Tal autoridade é conferida apenas aos policiais e trabalhadores militares, que são funcionários públicos.

Preciso Solucionar um Caso. Devo Fazer o Curso de Detetive Particular?

Nada impede que o interessado faça um curso do tipo para resolver alguma questão de cunho pessoal. Porém, isso só é recomendado se for alguma questão não muito impactante, já que também haverá uma ligação emocional com o caso, que pode torná-lo mais complicado.

Ao passar por um curso de detetive particular, a pessoa terá maior facilidade em unir pistas, encontrar vestígios e pensar em soluções que façam sentido. Não será muito fácil no começo, mas basta que ela tenha persistência e empenho.

Porém, ainda assim, por mais esforços que se invistam na realização de um curso de investigador particular, a certeza da solução de um caso, mediante a apresentação de todas as provas necessárias, só vem a partir da contratação de um detetive profissional.

Ter mais conhecimento a respeito dessa profissão nunca é demais, e fazer um curso de detetive particular é ótimo para isso. Porém, delegar o serviço de investigação particular a um profissional é sempre a escolha mais sábia e acertada.