Autor: Fabrício

Compartilhe

Parece exagero, mas uma das principais queixas que consta nos relatórios policiais é a violência física e maus tratos a idosos.

E pasme com isso: grande parte dos casos de violência acontece em suas próprias casas. Ou seja, por pessoas próximas, familiares agressivos ou cuidadores criminosos. Pessoas que deveriam zelar pelo conforto e carinho e não o contrário.

O cuidado com o idoso não é algo fácil, todos sabem, e justamente por isso requer decisões importantes e capacitação adequada da família ou do responsável. E esses cuidados vão muito além da segurança física apenas.

Suspeita que esse tipo de abuso esteja acontecendo em sua casa também? Nós o ajudamos a descobrir!

É verdade que a vida possui igual valor para todos, mas é também verdade que em caso de abuso contra pessoas vulneráveis, a revolta costuma ser maior. Logo, os cuidados precisam ser redobrados. Quando falta consciência sobre os direitos de cada um e do próprio valor da vida, cada segundo pode ser precioso para proteger entes queridos.

Como descobrir maus tratos a idosos?

Se você está com suspeitas de que alguém que você ama está sofrendo abusos, é importante ter em mente que você tem autonomia para buscar meios legais e denunciar esses maus tratos, sejam eles quais forem: espancamento, assédio, estupro, greve de fome ou mesmo insultos e violência psicológica.

Em caso de não ter nenhuma certeza, sendo a suspeita algo ligado mais à intuição, a ajuda de um detetive particular é muito útil.

Como o detetive particular investiga maus tratos a idosos?

O detetive particular possui ferramentas e técnicas para solucionar suas suspeitas sem envolvê-lo. Afinal, a discrição de um profissional de investigação é importantíssima, principalmente quando as suspeitas estão ligadas a outros possíveis crimes como roubo, preservação de patrimônio, herança.

Idosos em situação extrema de cuidado, como não conseguir se locomover, se alimentar ou realizar demais atividades rotineiras, normalmente contam com a ajuda de cuidadores ou enfermeiros. Esses profissionais, ainda que na teoria estejam habilitados para esse tipo de cuidado, podem vir a abusar de suas posições e maltratar esses idosos.

O trabalho de um detetive particular na hora de investigar maus tratos a idosos consiste em utilizar instrumentos para, primeiro, avaliar os riscos de maus tratos.

O profissional de investigação também faz uma revisão do histórico familiar e médico do idoso, considerando estado físico, psicológico e sexual desse vulnerável; passando só depois para uma avaliação da situação financeira. Na hora de ir a campo, o detetive particular faz uso de filmagens, gravações de áudio e fotografias, tudo para levantar provas que inclusive ajudarão em possíveis ações judiciais.

Devido à experiência do detetive particular, a família – ou quem suspeita das agressões e tem vivido aflito – acaba recebendo apoio, o que é fundamental. Afinal, nada é mais angustiante do que ver o sofrimento de alguém estimado.

Maus tratos físicos e psicológicos

O sofrimento de um idoso é algo bastante complexo, que envolve perdas de muitas ordens como problemas relativos à saúde, e por isso o idoso necessita de cuidado; a perda da capacidade de cuidar de si mesmo, o que fere emocionalmente porque ninguém deseja depender de ninguém. Ou seja, perda da autonomia.

Em casos de viuvez também o idoso pode deprimir-se a acabar adotando comportamentos novos, difíceis de lidar porque imperam a solidão, a dificuldade de aceitar a perda da pessoa e a própria perda de referência na falta desse companheiro de longa data.

Em qualquer um desses casos, é natural o medo de deixar o idoso sozinho em casa, principalmente se ele não possui uma agenda de atividades que possa ajudá-lo a preencher tais vazios.

Apoio contra esse tipo de violência

Se você precisa de ajuda nesse assunto de maus tratos a idosos, conte conosco. Somos profissionais sérios, gabaritados para solucionar o seu caso no menor tempo possível. Oferecemos todo o suporte para você que, sem dúvida, tem urgência em preservar a integridade de quem você ama.

Enquanto isso, tente envolver pessoas de confiança na rotina do idoso para checar seu conforto. Principalmente em horários em que o cuidador – ou quem suspeita – não espera a visita. Se o idoso ainda conseguir falar, estimule a confissão, assegurando sua proteção e prometendo o mais rápido possível a mudança de sua situação de cuidado.

Marque agora mesmo uma consulta conosco. Prometemos sigilo, rapidez e eficiência na solução do seu caso.