No cenário atual onde pelo menos um idoso morre por dia, a investigação de cuidadores é extremamente vital para garantir a segurança da terceira idade

 

Devido a idade avançada e as dificuldades que o idoso passa a enfrentar diariamente para executar suas tarefas e rotina, os familiares optam pela contratação de um cuidador de idosos para manter seu ente querido no convívio familiar e conforto do seu lar.

Essa parece sem dúvidas à escolha mais assertiva para garantir que o idoso tome seus remédios com horários rigorosos corretamente, que seja higienizado, alimentado, passeie, tenha companhia para conversar e qualquer outra eventualidade que surja.

O profissional que se propõe a cumprir a lista de deveres e responsabilidades do cargo somado à experiência que ele possui, entre outras habilidades que apresentar, parece deixar essa tarefa simples, mas não é isso que acontece muitas vezes.

Índices do Ministério da Justiça e Cidadania apontam repetidamente a violação dos direitos do idoso e o perigo alarmante que eles correm todos os dias.

Segundo os dados do Disque 100 (canal de denúncia) a maioria dos abusos cometidos por um cuidador de idosos são:

 

  • 77% descaso com os idosos:

São as tarefas feitas sem o cuidado necessário. Não dar o remédio na hora certa, ignorá-lo, não alimentá-lo direito ou dar alimentos indevidos são exemplos de negligência com o idoso.

  • 51% agressão psicológica:

Palavrões, ofensas e xingamentos, gritar ou falar alto são algumas das diversas agressões que abalam o psicológico de uma pessoa de idade.

  • 26% maus tratos e violência física: Manter o idoso preso dentro de casa sem tomar sol ou isolado, queimá-lo com a comida, o deixar cair ou derrubá-lo, agressões corporal são alguns dos muitos casos relatados em denúncias quando descobertos.

Seja qual forem os maus tratos praticados, o idoso terá seu emocional e psicológico abalado, piora na saúde física, sem contar que a vitima pode ficar a mercê de ameaças, chantagens e tortura.

Esses agravantes abalam sua vida de forma profunda, ocorrem danos às vezes irrecuperáveis da sua integridade. A vulnerabilidade causada por esses males pode até gerar ou piorar casos já existentes de depressão.

Por isso, os familiares precisam se atentar a todos os detalhes antes de permitir que alguém passe os dias dentro da própria casa com o idoso.

 

Sinais que podem ser indício de maus tratos:

  • Ferimentos ou hematomas na pele que surjam sem explicação ou com explicações incompatíveis ao ocorrido.
  • Histórias parecidas com acidentes já relatados;
  • Quedas frequentes;
  • Cuidador se recusar a deixar o idoso conversar com outras pessoas sozinho;
  • O cuidador não permitir outras pessoas estarem com o idoso enquanto ele cuida;
  • Doenças fáceis de tratar que não melhoram ou demoram mais que o normal;
  • Machucados inflamados ou com tempo maior que o informado pelo médico para se cicatrizarem;
  • Sequelas;
  • Lentidão a procurar médico em casos de necessidade;
  • Troca de médicos frequente;
  • Desnutrição, desidratação ou perda de peso;
  • Falta de apetite;
  • Fome em horários que não condizem com o das refeições;
  • Idoso mais calado ou melancólico;
  • Idoso evitando contato corporal;
  • Óculos quebrados com frequência;
  • Idas aos serviços de emergência e hospitais com aumento da frequência;
  • Roupas sujas, velhas ou rasgadas;
  • Unhas sujas, cabelo desarrumado ou descuidado;
  • Barba sem fazer e cabelo sem cortar – no caso dos senhores;
  • Assaduras em idosos que usam fraldas geriátricas;
  • Escaras de decúbito em muitos lugares do corpo com sinais de pouco ou nenhum tratamento;
  • Sono excessivo por uso de medicamentos sedativos;
  • Mudanças no comportamento e de humor repentinas do idoso, principalmente na presença de estranhos;
  • Idoso muito confuso;
  • Idoso começar a chorar ou se irritar com facilidade;
  • Idoso passar a ter medo em excesso ou de coisas que não tinha antes;
  • Comprimidos e medicamentos que acabaram antes do período informado pelo médico ou sobraram após o tratamento.

Para ser um bom cuidador de idosos além do perfil qualificado, outras qualidades são primordiais como dedicação, paciência e zelo, só assim o paciente terá saúde e bem-estar.

Confiar em cuidadores de idosos está cada vez mais difícil!

 

No momento da entrevista, a família deve:

  • Verificar se tem carta de recomendação;
  • Checar antecedentes criminais;
  • Confirmar se as referências são verdadeiras conversando com os antigos patrões;
  • Observar se o cuidador é paciente e executa as tarefas com zelo.

E para garantir que o profissional cumpra com os requisitos desejados e que não seja uma ameaça, uma investigação nessas horas é extremamente útil.

 

Como o detetive particular pode ajudar nessa situação:

O detetive pode ajudar na segurança da pessoa de idade garantido que o não corra riscos em nenhum aspecto, para isso é feito um monitoramento rigoroso, onde ele acompanha de perto a vida, rotina e os hábitos da pessoa investigada.

São entrevistadas testemunhas e pessoas que são fonte de informações, faz-se uma busca pente fino em órgãos oficiais, internet adentro e outros locais atrás do histórico do cuidador, e qualquer suspeita é encarada como pista e perseguida até ser desvendada. 

Durante o processo de investigação também são instaladas câmeras, escutas, e outras ferramentas/técnicas escolhidas de acordo com o perfil do caso.

Todo o procedimento na investigação de cuidadores de idosos é feito com sigilo e preservação dos clientes. E no final do trabalho são apresentadas provas concretas do detetive para que a família possa tomar as providências cabíveis em base ao que foi descoberto.

Lembre-se que no momento que surgir qualquer preocupação e desconfiança é ideal que procure por uma agência séria, onde os profissionais passam por uma seleção rigorosa e exigente, que tenham treinamento, conhecimento e experiência na área.

Um diferencial que demonstra a competência e dedicação da agência de investigação é quando o atendimento é 24 horas por dia e durante os 7 dias da semana, assim nenhum detalhe passa despercebido.

Sobre quando é a hora certa de começar a investigação do cuidador, o conselho é nunca esperar demais, qualquer sinal de suspeita já é o suficiente para pelo menos se consultar com um detetive particular, pois a preocupação não cessa e tira o sono.

Aliás, iniciar uma investigação antes de qualquer atribulação para saber mais sobre a pessoa que foi contratada para cuidar do idoso é uma excelente forma de prevenir futuros problemas mais sérios.

Seja antes ou após empregar o cuidador, iniciar uma investigação é a forma mais eficaz dos familiares garantirem a segurança do idoso e a qualidade de sua vida, podendo assim trabalhar ou fazer outras atividades com tranquilidade e evitando grandes transtornos.