Esqueça a lupa! Os detetives particulares modernos já utilizam equipamentos tecnológicos para realizar o seu trabalho

 

Embora os excessos ou total ausência de parafernálias tenham ficado famosos por meio de detetives como Inspetor Bugiganga e Sherlock Holmes, a vida dos investigadores modernos não se parece em nada com a desses personagens.

A primeira diferença é que detetives profissionais utilizam apenas equipamentos e métodos legais para realizar suas buscas. Eles jamais lerão as correspondências, colocarão grampo no telefone ou entrarão na casa do investigado em busca de evidências para seus casos, pois isso é crime. Invadir as redes sociais também é ilegal.

Eles também não atuam em dupla. Embora sejam contratados para uma agência que conta com vários investigadores, a figura do braço direito e parceiro do detetive é praticamente inexistente. Dependendo do tamanho do caso, mais de um detetive pode fazer a investigação, mas eles não agem juntos, apenas coordenados, e sempre há um único profissional encarregado desse tipo de operação.

A mudança mais perceptível em relação aos detetives que estão atuando no mercado é que eles utilizam cada vez mais aparelhos tecnológicos para cumprir a tarefa. As lupas, por exemplo, foram trocadas por modernos laboratórios de análises que nem sempre precisam ser usados, já que os mistérios podem ser resolvidos muito antes com o auxílio de:

VEÍCULOS

É muito importante que o detetive particular possua um veículo para se deslocar rapidamente atrás de seus alvos. Ele pode usar um carro ou uma moto, desde que sejam discretos para evitar chamar a atenção, principalmente se o investigado está sendo seguido no trânsito pelo profissional. O meio de transporte pode ser mudado periodicamente ou se houver alguma suspeita por parte do investigado para que o trabalho realizado até então não seja comprometido.

CÂMERAS

As câmeras estão cada vez mais potentes para capturar imagens, seja em fotos ou em vídeos. Os detetives têm à disposição câmeras fotográficas, câmeras de vídeo, micro câmeras e até mesmo drones capazes de registrar tudo o que está acontecendo a partir de diversos ângulos, inclusive nas alturas.

equipamentos-de-detetive-espionagemEmbora as câmeras sejam aliadas dos investigadores, há certas limitações: no caso de um detetive conjugal, por exemplo, não é permitido fotografar ou filmar o investigado durante a relação sexual, pois isso configura-se em invasão de privacidade.

GPS

O rastreamento de veículos por um sistema de GPS é uma tática muito comum usada pelos detetives. Basta instalar um pequeno aparelho em uma parte do carro que não seja muito visível pelo ocupantes do automóvel para que o investigador tenha acesso à localização do investigado a qualquer momento. Isso evita que o detetive o perca de vista durante uma perseguição e implica em um encontro mais rápido caso a tarefa tenha sido interrompida.

ESCUTAS

É um equipamento que já foi visto em filmes de ficção científica, e que agora está disponível para uso dos detetives. Funciona, basicamente, com a inserção de um chip de celular. O detetive só precisa deixá-la preparada para colocar em um local discreto no carro, na casa ou na sala de reunião da pessoa que está sendo investigada e fazer uma ligação para o número do chip para ouvir tudo o que está sendo dito no local. Alguns modelos são tão tecnológicos que são capazes de registrar horas de gravação na memória.

DISFARCES

Sim, eles ainda usam disfarces, mas nada de óculos e bigodes falsos! O objetivo de um detetive é se parecer ao máximo com uma pessoa comum. Muito usada em casos de contraespionagem, o disfarce permite, por exemplo, que o investigador tenha acesso ao interior das empresas se passando por um entregador de refeições ou que converse em mais de uma ocasião com a mesma pessoa sem ter a sua identidade revelada, obtendo informações fundamentais para o caso.

Veja quanto custa a contratação de detetives particulares e saiba mais sobre os serviços prestados com discrição e eficiência por esses profissionais.