Infidelidade amorosa pode impactar um relacionamento a qualquer momento da vida e, por isso, é preciso ter certeza antes de tomar decisões

 

Entre um casal de idosos, é esperado muito amor, companheirismo e fidelidade. Só que nem sempre é assim: existem muitos casos de traição na terceira idade.

De acordo com estudo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2015, nos últimos dez anos, o número de divórcios no Brasil cresceu mais de 160%. Foram mais de 2,3 divórcios para cada mil pessoas com mais de 20 anos.

Entre os anos 2000 e 2010, a média de divórcios entre casais acima dos 50 anos cresceu 28%, seis pontos percentuais a mais do que o registrado entre as pessoas mais jovens. E a traição é uma das principais motivações para o fim da união entre os casais da terceira idade.

 

Na verdade, o divórcio é apenas a gota d’água. Nos relacionamentos longos das gerações anteriores, a falência do relacionamento comumente está relacionada à desarmonia e ao distanciamento entre os cônjuges, que permanecem juntos para “manter as aparências”. Nesses casos, um dos envolvidos pode querer buscar aspectos fundamentais de uma relação a dois fora do casamento.

O homem mais velho do mundo a ter pedido divórcio o fez devido a descoberta de uma traição da esposa há mais de 60 anos. Na época da separação, ele estava com 99 anos e ela, 96. O ato extraconjugal foi descoberto em cartas de amor entre a mulher e o amante, que ficaram guardadas por todos esses anos.

 

como idosos encaram divorcio

 

Como descobrir?

Os indícios de uma traição na terceira idade são os mesmo de um ato extraconjugal cometido na juventude. As suspeitas aparecem quando um dos parceiros muda seu discurso e seu estilo de vida e, de uma hora para outra, começa a faltar em compromissos ou a ser intolerante com o outro.

A linguagem corporal também diz muito quando se trata de uma conversa para omitir um caso. Respostas demoradas, olhar fugidio e braços cruzados podem indicar mentiras.

Se o casal idoso for conectado, o uso de celulares e das redes sociais também pode ajudar a identificar que algo não vai bem na relação. Se apenas um cônjuge está familiarizado com a tecnologia, a desconfiança é ainda maior, pois o outro tende a notar o excesso no uso dos aparelhos. A proteção demasiada com celulares e computadores é um sinal típico de quem está tentando esconder algo.

Para que não restem dúvidas sobre a fidelidade do marido ou da esposa, a melhor atitude a se tomar é a contratação de um detetive particular. Esse profissional tem, entre suas investigações, cerca de 70% de suspeitas de traição, e elas costumam ser confirmadas.

Durante a busca do detetive particular, há casos em que o cônjuge se relaciona com uma pessoa mais jovem, em que a traição já ocorre há muitos anos sem que ninguém tenha percebido ou em que ele se dirige periodicamente a locais como casas noturnas ou motéis.

Qualquer ato infiel será flagrado pelo investigador, e apresentado como prova para o cônjuge traído, que poderá, então, começar a refletir sobre o futuro do relacionamento. Saiba mais sobre Investigação Conjugal.

 

Como lidar com traição na terceira idade?

Após anos compartilhando uma boa parte da vida e da convivência, a suspeita de uma relação extraconjugal pode abalar um casamento de forma definitiva. Enquanto um dos parceiros escolhe viver de forma pacata e discreta, o outro pode querer se sentir jovem outra vez, e apresentar interesse em fazer amigos, cuidar do corpo e se relacionar com o sexo oposto.

É muito comum que o parceiro traído culpe o outro pela infidelidade. No entanto, é preciso lembrar que o parceiro pode estar sofrendo por estar chegando ao fim da vida, por viver solitário e uma série de motivos. Tente se colocar no lugar dele e reflita como é infeliz viver desta forma.

Atualmente, a expectativa de vida é muito mais avançada, e com o fim das responsabilidades com os filhos ou o trabalho, as pessoas com 60 ou até 70 anos ainda têm diversas oportunidades pela frente. Se o casal estiver disposto a retomar o relacionamento, há muitos desejos ainda não satisfeitos que eles podem explorar juntos.

Se a decisão pelo fim do matrimônio é certa, os idosos podem continuar a ter uma vida plena sozinhos, se dedicando a atividades que antes eram limitadas pelo cenário constante de dúvidas e tristeza.

No entanto, novos relacionamentos também podem surgir na terceira idade e surpreender os recém-separados com uma dose de fidelidade e, principalmente, amor.