Com uma porcentagem alta de depressão na adolescência, detetives são de total relevância para garantir o bem estar dos adolescentes.

 

A adolescência é uma fase onde os pais geralmente dormem com um olho aberto e o outro fechado, devido à série de preocupações que rodeiam suas mentes, afinal seus filhos estão descobrindo o mundo, tudo é novidade e eles querem se atirar as novas experiências.

É normal esse receio de que eles se envolvam em ciladas como drogas, bebidas alcoólicas, más companhias, entre outros problemas. Mas, às vezes alguns inimigos são invisíveis e demora um tempo para serem descobertos, esse é o caso da depressão na adolescência.

A depressão é uma doença crônica, algumas vezes de vulnerabilidade biológica hereditária, e mesmo que o foco dela seja nos adultos, a porcentagem de crianças e adolescentes que sofrem desse mal é grande.

Foi divulgado, em maio de 2014, um relatório pela OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmando que a depressão é o principal transtorno de saúde entre adolescentes. O mesmo é ligado estreitamente aos casos de suicídio, sendo um dos três maiores motivos.

A maioria dos pacientes que sofrem dessa patologia são as meninas. Os agravantes que fazem delas o principal alvo são: assédio e/ou abuso sexual, agressões físicas e emocionais, etc.

Sem contar à opressão da mídia, como, por exemplo, ter o corpo perfeito e a supervalorização errônea de um padrão de beleza. Isso causa estresse, pressão excessiva de alcançar esse patamar idealizado e essas jovens passam a não se sentirem atraentes.

Com a autoestima muito baixa, as chances de desenvolver quadros depressivos são altas.

Outros fatores tanto para meninos quanto meninas são o bullying, o fracasso escolar, conflitos com os pais, morte de um ente querido, influência dos hormônios sexuais, repressão, etc.

Como a depressão é um inimigo geralmente silencioso e os filhos acabam omitindo os sintomas por vergonha ou às vezes por não ter ideia que aqueles pensamentos negativos e reações são depressivas, demora muito para os pais perceberem.

Pois, pode passar despercebido, como uma tristeza passageira, ser confundido por outras razões, e só ser notado quando o estágio da doença está avançado.

Então a atenção em casa precisa ser redobrada para os sintomas não serem confundidos com as alterações comportamentais comuns dessa faixa etária.

Veja alguns sinais que podem indicar a depressão na adolescência:

 

1 – Visão negativa sobre as pessoas e a vida:

O adolescente passa a enxergar as coisas através de uma lente obscura e pessimista. Fica melancólico, sem esperança e tudo ganha um peso maior.

2 – Perda de interesse:

De repente, atividades e programas que o adolescente gostava são abandonas, ele passa a não ter mais interesse e está sempre desanimado.  

3 – Descontrole emocional:

Mau humor, explosões de raiva e crises de choro são sinais de que o adolescente está em um quadro depressivo.

4 – Isolamento:

O adolescente para de sair, frequentar os amigos, fica somente em casa ou se tranca no quarto, evitando os familiares e passando a maior parte do tempo sozinho.

5 – Dificuldade para se concentrar:

A dificuldade de concentração ocasiona queda no rendimento escolar, as tarefas ficam incompletas, e o adolescente tem a sensação de impotência.

6 – Apetite ou falta dele:

Perdas de peso ou o aumento podem estar associados a casos de depressão.

É comum que o adolescente perca a fome ou passe a comer bem menos. Mas, pode acontecer dele começar a se alimentar impulsivamente ou consumir mais doces.

7- Alterações do sono:

Alguns adolescentes passam a dormir por mais tempo e/ou em mais períodos do dia. Podem ter crises de insônia também.

8 – Autoflagelamento:

Em níveis altos de sofrimento e sensação de vazio, alguns adolescentes podem adquirir o hábito de descontar no corpo.

Muitas vezes é um ato desesperador de desviar a atenção e tentar cessar a dor psicológica para a física, que parece ser mais fácil de controlar.

Outras vezes pode ser uma tentativa de combater a ausência de sentidos para sentir algo, ou uma autopunição. É difícil saber quando o adolescente passa a viver essa realidade, quando suas mudanças de comportamento precisam ser levadas a sério e não tratadas como crises da idade.

Entenda a depressão na adolescência

Por isso, é primordial que os pais estejam por dentro da vida dos filhos em todas as idades, e nesta principalmente. Nessas horas, agências de detetives são extremamente úteis.

Com um profissional acompanhando os passos do filho, os pais estarão por dentro da sua rotina, hábitos e comportamento, e com isso fica mais fácil tomar medidas eficazes contra as suspeitas de depressão.

A agência sendo especializada em investigação de adolescentes pode agir de forma sigilosa e com todo cuidado necessário para reunir as evidências da real situação que se encontra o adolescente. Isso pode evitar que a situação piore e previne riscos.

 

Detetives têm as seguintes vantagens:

  • Experiência necessária para engajar casos obtendo a união de fatos que uma pessoa comum não teria;
  • Equipamentos e técnicas especializadas para trabalhar e unir pistas de forma eficaz;
  • Conduta adequada para saber agir em casos de contra inteligência, sendo racionais e sem o envolvimento emocional com o investigado que a família teria – o que poderia interferir em uma análise correta dos fatos.

 

Confira agora 5 dicas para entender a depressão na adolescência:

  • Buscar sempre mais informações sobre a depressão, seja em livros, na internet, com psicólogos e psiquiatras;
  • Conversar com outras famílias que já passaram por isso;
  • Não ter preconceito com jovens que se sentem assim e entender que é uma doença que precisa ser tratada como todas as outras;
  • Não desmerecer ou subjugar a vontade do jovem de sair desse quadro, tendo paciência, persistência e sempre oferecendo apoio;
  • Manter-se ao lado do adolescente, estimulando-o a conversar – sem forçar – sobre o que está sentindo, transmitindo confiança e amorosidade.

Como foi dito, o envolvimento familiar na vida do adolescente é a melhor forma de preservar sua segurança e ajudá-lo a passar por momentos difíceis. Contratando um detetive esse cuidado é multiplicado e a família tem mais ferramentas para auxiliar.

Detetives apresentando provas reais facilitam encaminhar o jovem para tratamento e acompanhar todo o processo até que a depressão seja superada e ele volte para sua vida, com muito mais força e confiança tanto na vida quanto em si mesmo.